Compartilhe as últimas notícias do Brasil!

Se colocar no mercado de trabalho é um desafio, exigindo conhecimento e disposição para buscar novos horizontes na profissão. A maioria das empresas, quando iniciam a seleção de colaboradores, observam se o candidato tem qualificação e experiência suficiente para a vaga.

Para a especialista em recrutamento, mestre em Administração e docente da UNINASSAU Campina Grande, Jailma Márcia, além das experiências, as corporações levam em conta um fator denominado soft skills. Ou seja, as habilidades comportamentais.

“Muitos profissionais nem sempre possuem essas habilidades bem trabalhadas, o que dificulta sua convivência e entrega no trabalho. Atualmente, as empresas contratam por competências técnicas e demitem por conta das comportamentais”, frisa. Jailma também destaca que outro fator importante para se manter no mercado é a constante atualização, buscando realizar os mais variados cursos, assim como construir um bom networking.

Jailma Márcia ainda dá algumas dicas para a elaboração de um currículo atraente e orienta sobre como se dar bem em uma entrevista de emprego. “O currículo não deve ser extenso, não sendo necessário informar números de documentos, por exemplo. Na verdade, ele precisa ser verdadeiro. Coloque experiências, cursos de qualificação e formação. Esses pontos são os mais procurados pelos recrutadores”.

“Em relação à entrevista de emprego, busque informações sobre a empresa, seja pontual, se vista adequadamente e tenha muito cuidado com o uso da língua portuguesa, usando um tom de voz compreensivo e claro. Se ela acontecer de forma remota, se atente à qualidade da internet, evite ruídos e procure um ambiente neutro”.