Compartilhe as últimas notícias do Brasil!

A Campanha Nacional de Imunização da Poliomielite termina nesta sexta-feira, 14. A vacinação é voltada para todas as crianças menores de 5 anos de idade. Os locais de vacinação são as Unidades Básicas de Saúde, os Centros de Saúde e Policlínicas e o Terminal de Integração.

A vacinação é voltada a crianças de 1 ano a menores de 5 anos de idade. A vacina contra a Poliomielite é administrada em três doses: aos dois meses, aos quatro e aos seis meses de vida, com dois reforços com 15 meses e, depois, aos 4 anos de idade. Na campanha, todas as crianças na faixa etária de 1 a menores de 5 anos devem ser levadas aos pontos de vacinação para receberem uma dose extra de reforço, mesmo que estejam com o cartão atualizado. Já as crianças menores de 1 ano devem atualizar ou iniciar o esquema vacinal inicial.

O Município de Campina Grande tem 22.117 crianças na faixa etária adequada para o recebimento da vacina da poliomielite e a meta é imunizar 95%, porém, os dados oficiais apontam que apenas 2.663 crianças receberam o imunizante. Após o término da campanha, a vacina volta a ser aplicada apenas como vacinas de rotina, sem a dose extra.

“Realizamos um dia D, fizemos vacinação em creches e escolas, mas apelamos para que os pais levem seus filhos aos pontos de vacinação nessa reta final para receberam essa dose extra de proteção para evitar o desenvolvimento da paralisia infantil”, disse a coordenadora municipal de Imunização, Samira Luna.

O objetivo da campanha é impedir a reintrodução da doença no Brasil, que também é denominada como paralisia infantil ou pólio, e que causa a paralisia flácida, com acometimento dos membros inferiores de forma assimétrica e irreversível. O último caso registrado no Brasil foi em 1989, na cidade de Sousa. No ano passado, o país foi classificado como região de alto risco para o ressurgimento da doença em alerta da Comissão Regional para a Certificação da Erradicação da Poliomielite na Região das Américas (RCC) 4.

Existe a vacina VOP, por via oral, e a VIP, inativada. A partir do segundo semestre, a vacina oral, que é administrada com duas doses de reforço, será substituída por uma vacina VIP. Nesta campanha, a vacina VOP ainda será utilizada. A vacina protege contra dois sorotipos da Poliomielite, evitando a paralisia infantil, e a eficácia é de até 95%.