Compartilhe as últimas notícias do Brasil!

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva desembarcou, na manhã desta quinta (2/4), em Santa Maria (RS), para acompanhar a situação dos municípios gaúchos atingidos por chuvas intensas, alagamentos, inundações, enxurradas e vendavais de grande intensidade. Lula terá uma reunião de trabalho com o governador do estado, Eduardo Leite.

Na comitiva com o presidente estão os ministros Rui Costa (Casa Civil), Renan Filho (Transportes), Waldez Góes (Integração e Desenvolvimento Regional), Jader Filho (Cidades) e Paulo Pimenta (Secretaria de Comunicação), além do comandante do Exército, general Tomás Paiva, e do chefe do gabinete do Comandante da Aeronáutica, Major-Brigadeiro do Ar Antonio Luiz Godoy Soares.

AUXÍLIO – Desde o início da crise, o Governo Federal se mobilizou, via Defesa Civil Nacional e Ministério da Defesa, no socorro emergencial. O apoio operacional das Forças Armadas tem auxiliado as ações de busca e resgate de vítimas e a desobstrução de estradas, além de distribuição de alimentos, colchões, água e a montagem de postos de triagem e abrigos.

Duas aeronaves da Força Aérea Brasileira já operam na região e outras duas do Exército se deslocaram. O Ministério da Defesa solicitou outras oito. Segundo números atualizados nesta quinta, o efetivo das Forças Armadas foi ampliado de 335 para 626 militares. A pasta já forneceu 45 viaturas e 12 embarcações.

Também integram a comitiva federal no Rio Grande do Sul nesta quinta o secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, Wolnei Wolff Barreiros; o diretor-executivo do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), Carlos Antônio Rocha de Barros; e o presidente da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Edegar Pretto.

CALAMIDADE – O governador do Rio Grande do Sul decretou estado de calamidade pública nesta quarta-feira (1/5), em face dos estragos causados pelos eventos climáticos. As aulas na rede estadual estão suspensas até domingo. Até o início da manhã desta quinta, os números divulgados pelo governo gaúcho registravam 13 mortes, 5.257 pessoas desalojadas, 3.079 em abrigos e 134 municípios atingidos.

OCORRÊNCIAS – O estado já registrou ocorrências geohidrológicas, principalmente inundações e alagamentos, além de relatos de pessoas ilhadas em vários municípios. A usina hidrelétrica de Dona Francisca entrou em nível de emergência e todos os acessos às usinas e barragens de Castro Alves, Monte Claro e 14 de Julho foram interrompidos.

DEFESA CIVIL – Nesta quarta, uma reunião do Sistema Federal de Proteção e Defesa Civil foi realizada com agências federais para discutir as novas condições meteorológicas, o trabalho das equipes em campo e outras ações de resposta ao desastre. Participaram da reunião representantes do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (Ana), Ministério da Saúde, Ministério do Desenvolvimento Social, defesas civis municipais, entre outras agências.

Técnicos do Grupo de Apoio a Desastres (Gade), da Defesa Civil Nacional, também foram enviados para atuar nos locais mais atingidos pela chuva. “A equipe do Grupo de Apoio a Desastres trabalha em conjunto com as defesas civis municipais e estadual para acelerar os processos de solicitação e liberação de recursos federais para ações de socorro e assistência humanitária. Neste primeiro momento, o foco é agilizar o reconhecimento federal de situação de emergência ou estado de calamidade pública dos municípios”, explica o coordenador-geral de Monitoramento e Alerta da Defesa Civil Nacional, Tiago Molina Schnorr.