Compartilhe as últimas notícias do Brasil!

Campina Grande ganhou mais um local de destaque por seu potencial de inovação. A Rainha da Borborema foi destaque na edição de maio da revista ‘Época Negócios’, uma das mais importantes do país no segmento.

Dentre as cidades do Nordeste, citadas no capítulo ‘No Ritmo do São João: Com Leis de Incentivo e Universidades de Excelência, Cidades do Nordeste Despontam Como Celeiros Para a Inovação’, Campina Grande ganhou uma posição diferenciada na publicação. A revista conta inicialmente que, em 2022, mais de 14% das startups da região estavam operando em escala, enquanto 37% estavam na fase de ganhar tração e 24,5% em operação.

Ela cita ainda que no Nordeste mais de 18% das empresas se dedicam à educação, enquanto cerca de 10% desenvolvem tecnologias para a área da saúde. Fintechs e retailtechs representam uma fatia de 7% cada uma.

“No interior da Paraíba, a cerca de 127 quilômetros da capital, João Pessoa, Campina Grande abriga uma população próxima a 500 mil habitantes que vivem, em grande medida, sob influência da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) e de centros de pesquisa, desenvolvimento e inovação atrelados”, cita a revista para emendar: “A consolidação do ecossistema de inovação fez com que Campina Grande conquistasse títulos importantes no cenário nacional. Em 2023, a UFCG foi a segunda maior depositante de patentes no país, atrás somente da Petrobras, de acordo com dados do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi). No ano passado, foram 101 pedidos, um acréscimo de 60 em relação a 2022”.

A Época Negócios conta também que a vocação para o desenvolvimento de tecnologia e para a inovação em Campina Grande é antiga e faz parte da construção da identidade regional. “Em 1952, a Escola Politécnica da Paraíba, a primeira do estado, foi fundada como resposta ao fim do crescimento econômico com a cultura algodoeira. Com a instituição em pleno funcionamento, em 1967 surgiu a possibilidade de se comprar um computador, equipamento raríssimo naqueles tempos”.

Mais uma vez, a capital do trabalho, como diz seu hino, desponta entre as principais cidades do país, notadamente por seu potencial tecnológico não só no empreendedorismo, mas também na mão-de-obra extremamente qualificada.

O resultado foi comemorado pela secretária de Desenvolvimento Econômico do município, Tâmela Fama.

“Não há como não celebrar mais esse lugar de destaque. Venho do setor produtivo, da área de tecnologia, e acompanhei – e ainda acompanho – tudo isso de perto. Sei do potencial que Campina tem nessa área e isso reforça ainda mais minha missão técnica dentro da gestão pública. Seguimos trabalhando pelo crescimento de todos os setores, uma vez que não falta matéria para explorarmos”, disse.

De brinde

Além das páginas citando empresas instaladas na cidade, devido à proximidade do evento, O Maior São João do Mundo não podia ficar de fora. Ele também foi pautado e ilustrado nesta edição da revista, o que reforça também o potencial econômico que quem olha para a festa consegue enxergar.