Compartilhe as últimas notícias do Brasil!

A proposta do edital foi lançada pelo Ministério da Mulher em novembro de 2023 para estados, municípios e Distrito Federal com o objetivo de garantir recursos para a aquisição de equipamentos para os Centros de Referência de Atendimento à Mulher (Cram).

O edital, segundo Talita Lucena, coordenadora do órgão em Campina, priorizou equipamentos como automóvel, mobiliário e utensílios como computadores, impressoras e outros equipamentos necessários ao bom funcionamento do órgão, para melhorar ainda mais o atendimento assistencial às mulheres vítimas de violência assistidas pelo órgão em Campina.

“Foi uma conquista importante para a cidade já que que foi um processo muito concorrido e para conseguirmos essa aprovação a gente teve que passar por pontuação, número de atendimentos, a utilidade, alcance e objetivo de cada projeto. Tudo isso foi avaliado e visto que realmente fazemos um trabalho de impacto, então vencer esse edital e ser uma das poucas cidades do Nordeste a conseguir esse feito, para nós foi de suma importância para trabalharmos para equipar nosso Centro e prestar um atendimento ainda mais qualificado”, disse a advogada Talita Lucena.

O Centro de Referência de Atendimento à Mulher (Cram) é um espaço destinado a prestar acolhimento e atendimento humanizado às mulheres em situação de violência, proporcionando atendimento psicológico, social, orientação e encaminhamentos jurídicos necessários à superação da situação de violência.

O CRAM disponibiliza serviço de acolhimento psicológico, assessoria jurídica, assistente social, e quando necessário, acolhe mulheres em casa abrigo. Também é responsável por direcionar as denúncias de violência contra à mulher e atender através do disque denúncia 180 e (83) 3330-0925.

Por fim, a coordenadora Talita Lucena, destacou: “Um alcance dessa magnitude, logo nos primeiros 15 dias de 2024, nos impulsiona a trabalhar ainda mais para a luta que travamos diariamente contra os constantes episódios de violência de gênero, já que os índices da atualidade são considerados elevados. Só em 2023 foram 33 mulheres vítimas de feminicidio na Paraíba, de acordo com os dados do Núcleo de Análise Criminal da Paraíba, portanto, conseguir vencer esse processo licitatório, sob o comando do prefeito Bruno Cunha Lima, no Ministério da Mulher foi um avanço considerável para Campina Grande.”