Compartilhe as últimas notícias do Brasil!

A Gerência do Idoso da Prefeitura de Campina Grande, órgão ligado à Secretaria de Assistência Social (Semas), realizou nesta semana mais uma etapa do processo de Elaboração do Diagnóstico Municipal da Pessoa Idosa, conforme a Estratégia Brasil Amigo da Pessoa Idosa (EBAPI), do Governo Federal. Trata-se de uma iniciativa constituída por um certificado com metas, voltada à oferta de melhores condições de vida para a população idosa vulnerável, em particular, e também para a população idosa em geral.

Na ocasião, 60 usuários do Centro de Convivência do Idoso (CMCI), dos Cuités e do Centro de Referência em Assistência Social (Cras) Jeremias, tiveram a oportunidade de apresentar suas observações e opiniões sobre os seguintes temas: Ambiente Físico, Transporte e Mobilidade Urbana, Moradia, Cuidado, Saúde, Apoio e Comunicação.

Após a explanação sobre a importância do Diagnóstico, por parte da equipe ligada à Gerência do Idoso, os participantes foram divididos em dois grupos. Cada um apresentou suas observações e reivindicações, em termos de melhorias para a população idosa.

A presidente da Sociedade Amigos do Bairro (SAB), do Jardim Continental, Maria Sandra de Souza Dantas, fez questão de participar das discussões. “Todas as reuniões que participo sempre tento trazer algo para a nossa SAB. Nosso bairro precisa de mais cursos e oficinas para idosos. Temos hoje mais de 50 idosos na SAB, que também frequentam o CMCI, uma parceria muito importante”, disse a presidente.

Algumas reclamações foram rotineiras, como a demora na fila de bancos; falta de respeito de alguns motoristas, quando o idoso atravessa a faixa de pedestres; a parada dos ônibus coletivo (geralmente distante do local, onde o idoso está aguardando). Entre as sugestões estava a construção de um Hospital do Idoso, na cidade.

Elogios à Gestão

Foram apresentados elogios para vários equipamentos da Prefeitura, como Unidades de Saúde mais próximas, Centros de Referência em Assistência Social (Cras), iluminação, saneamento básico, além de ações importante, por parte da Semas, através da Gerência do Idoso, juntamente com o Centro de Convivência nos Cuités.

“É sempre muito positivo escutar a voz do povo. São eles que trazem para nós as reivindicações e solicitações para que, a partir disso, possamos partir em busca dos avanços das políticas públicas. A ideia é dar continuidade à essas discussões nos territórios, através dos Cras, que são as portas de entrada para muitas demandas envolvendo a pessoa idosa e que chegam ao nosso conhecimento. Essa é apenas uma das etapas de outras que virão, com o objetivo de implementarmos melhorias e mais ações, em prol do idoso em nosso município”, disse a gerente da Pessoa Idosa, Rosemary Torres.